Pessoas com traqueostomia ou laringectomizados devem redobrar precaução durante pandemia do novo coronavírus

Pessoas com traqueostomia ou laringectomizadas precisam ter muita atenção ao manuseio de suas estomias devido ao risco de contaminação pelo novo coronavírus. As recomendações para lavagem das mãos de forma adequada ou uso de álcool gel devem ocorrer rigorosamente antes da higienização da estomia e dos dispositivos em uso.

“O uso de lenços no pescoço ou filtros de proteção para traqueostomia e laringectomia auxilia na prevenção de complicações de saúde e protege a estomia do contato com resíduos aéreos como poeira e micro-organismos que irão diretamente para o pulmão”, afirma a enfermeira estomaterapeuta Adriane Faresin, diretora de Comunicação da Sobest - Associação Brasileira de Estomaterapia: estomias, feridas e incontinências.

Nos casos de câncer de cabeça e pescoço ou situações que comprometam as vias respiratórias pode ser necessário um procedimento cirúrgico para construção de uma estomia respiratória, indicada para o aliviar a obstrução e melhorar as condições respiratórias da pessoa. 

A laringectomia é uma estomia necessária quando a doença afeta a laringe e cordas vocais. Desta forma, em ambas as situações, a passagem do ar em direção aos pulmões acontece através da estomia respiratória, onde o ar entra diretamente para os pulmões, sem barreira alguma.

“Os cuidados com a higienização destas estomias e de seus dispositivos como cânulas para traqueostomia ou laringectomia, intermediários e inaladores devem ter redobrada atenção nestes tempos de pandemia”, reforça a enfermeira estomaterapeuta Adriane Faresin.

As pessoas com traqueostomia ou laringectomia correm riscos mais elevados para o desenvolvimento de infecções respiratórias graves causadas pela COVID-19. É muito importante estar atento a sinais e sintomas como febre, tosse e dificuldade para respirar. Nestes casos, um médico deve ser rapidamente procurado.

Área do Associado